Dos dias que se repetem

abril 11, 2015


Tenho lido um pouco mais que o ano passado, não só online, ou no celular, ou nos livros, mas em mim também.
Tenho visto mais séries, mas bem mais controladamente do que ano passado, agora tenho as prioridades e os que eu vejo por diversão. Fiz algumas maratonas curtinhas, de séries, que sei lá, fazia anos que eu queria ver e simplesmente dizia que ia fazer isso outro dia.
Uma dessas foi My So-Called Life ( a lindinha da foto ai ), e apesar dos poucos episódios e do fim trágico, (porque, cancelaram com um fim incerto ) eu realmente gostei tanto que quis viver na década de 90, quis viver minha adolescência na década de 90.
Acho que eu seria menos exigente comigo mesma e teria escrito mais, e até ter feito mais loucuras. E a protagonista é uma linda tão clichê e ainda assim tão mais profunda do que muitos de hoje em dia, que sei lá, eu vi que qualquer um tem um potencial em si, só que ninguém se aprofunda nisso e fica essa aglomeração de pessoas que seguem modas.
E em relação a leitura, tenho abrangido mais, não ficar na mesmice, partir pra outros tipos de leitura, e até mesmo as velhinhas que eu tinha medo de odiar porque todo mundo fala, porque todo mundo diz que leu e porque todo mundo acha que sabe o que leu.
E meu achismo e sei lá repetidos, é uma maneira informal de parecer está ai do lado conversando com vocês.
Eu não faço só isso da minha vida, tá? 
Mas essas duas coisas são tão essenciais pra mim como o sol é pra terra, haha, foi meio forçado sim. Só que a leitura e as séries meio que me reconstruíram e me construíram,  de um jeito que as pessoas com que convivo demoraram pra fazer.
Isso é mais um pensamento, uma conversinha, do que um texto bonito ou pausado pra se ler.
Isso é sim um pouco de mim.



2 comentários:

  1. Tomando minha atitude! Voltei! Quem sabe... Obrigada por ainda lembrar de mim!

    Beijos grandes.

    ResponderExcluir
  2. Costumo dizer que toda história é mágica. Porque elas tem o poder de mudarmos totalmente.
    tem livros que foram um marco na minha vida, e toda vez que eu lembro de um episodio que aconteceu comigo eu lembro daquele livro.
    Quando eu era pequena, meu sonho era ler Reinações de Narizinho. Desejei tanto que quando li foi inesquecível.
    Depois teve um livro do Pedro Bandeira que o nome era a marca de uma lágrima. Lembro dele como se fosse ontem!
    bjs! espero que eu tome atitude várias vezes por aqui,

    ResponderExcluir

NÃO FAÇAM PROPAGANDAS AQUI !
Desde já, agradeço sua iniciativa para comentar.

 
FREE BLOG TEMPLATE BY DESIGNER BLOGS